"Ele preferiu morrer do que viver sem ti"

Ninguém tirou a vida a Jesus. A morte de Jesus não foi uma fatalidade, ou um erro judicial. Foi Ele quem se entregou para morrer (João 10:17, 18). Foi um acto voluntário e premeditado. Foi um acto de amor, na sua mais sublime demonstração. A sua morte é a maior glória da humanidade. Mas qual a razão de ter-se entregue para morrer?
1. PORQUE TENS UM PROBLEMA Jesus nunca se entregaria para o sofrimento e a morte que padeceu se não houvesse uma razão válida. Se não existisse uma necessidade. A razão és tu! Tens um problema que exigiu a morte de Jesus. Esse problema chama-se pecado. É a maldade no coração de todos os homens (Romanos 3:23), que nos afasta de Deus e traz todo o tipo de sofrimentos e males. O pecado exigia a nossa morte e sofrimento eterno (Romanos 6:23). Por isso Jesus teve que morrer. Para pagar o preço e agora podermos ter vida eterna e abundante (João 3:16; 10:10).
2. PORQUE JESUS AMA-TE APAIXONADAMENTE Ele dispôs-se a todo aquele sofrimento por causa do amor que tem por ti. Ele não podia ver-te perdido, sem direcção e sem paz. Ele provou o seu amor pela forma como morreu (Romanos 5:8). Ele preferiu morrer do que viver sem ti. És muito importante para Ele. Muito especial. Ele quer estar sempre ao teu lado – ser o teu melhor amigo. Com Ele vais experimentar o verdadeiro amor e alegria de viver.
3. PARA QUE NÃO POSSAS FICAR INDIFERENTE OU DISTANTE A sua morte e em específico, a forma brutal como morreu, não pode deixar ninguém indiferente. Ninguém pode duvidar, ignorar, ou tentar lavar as mãos em relação à morte de Jesus, como Pilatos fez (reza a história que ele nunca mais conseguiu ficar em paz, morrendo de loucura e tormento). Há uma decisão a fazer. Há uma atitude a tomar. Aceita Jesus Cristo como o teu Salvador pessoal e deixa que Ele seja o Senhor da tua vida. Aquele que morreu, foi o que deixou o túmulo vazio a fim de encher o teu coração.
Se queres aceitar Jesus como teu Salvador e Senhor, faz esta oração de todo o coração: “Pai celestial, obrigado por teres enviado o teu Filho Jesus para morrer em meu lugar. Perdoa todo o meu pecado e transforma a minha vida. Eu recebo Jesus como o Salvador e Senhor da minha vida.” Se fizeste esta oração de todo o teu coração, és salvo (Romanos 10:9). Agora podes viver uma nova vida cheia de amor, paz e alegria. Jesus é agora o teu melhor amigo.
Desenvolve diariamente um relacionamento com Ele através da oração. Lê e estuda a Bíblia, que é a Palavra de Deus e a forma mais directa como Ele fala contigo. Envolve-te numa Igreja Evangélica, onde podes adorar e orar com outros cristãos, bem como ouvir a pregação e ensino da Palavra de Deus.
Por Hugo Pinto
Se quiseres mais apoio espiritual ou esclarecimento de dúvidas, envia um email para hugoalexpinto@gmail.com

2.1.07

AS DIFERENÇAS ENTRE A LEITURA E A TELEVISÃO

A leitura tem sido hoje substituída freneticamente pela televisão.
Desse facto e tendência têm surgido muitos danos na vida pessoal, familiar e da sociedade.

Eis algumas diferenças que considero importantes entre a leitura e a televisão. Claro que parte-se do pressuposto que a leitura é boa e edificante.

Não é uma apologia contra a televisão. É uma reflexão sobre uma substituição nada proveitosa.

Aqui vai:

A leitura desenvolve a mente.
O visionamento de imagens torna a mente passiva. Em excesso, pode mesmo atrofiá-la. O apelo das imagens não é para a mente, mas principalmente para o sentimento.

A leitura desenvolve a disciplina.
A televisão de entretenimento desenvolve a preguiça e a inércia.

A leitura aperfeiçoa o caracter, levando a pessoa à introspecção e melhoramento.
A televisão de entretenimento desvirtua o caracter, pois está carregada de lixo.

A leitura traz fé e edificação espiritual.
A televisão de entretenimento traz a influência e mentalidade do mundo.

A leitura opera, pelo desafio, uma atitude de acção e mentalidade de missão e propósito.
A televisão de entretenimento opera uma atitude de passividade, desenvolvendo uma mentalidade de espectador, na qual espera-se que os outros sejam sempre os agentes da acção.


Por Hugo Pinto

1 comentário:

Pedro Martins disse...

Em primeiro lugar, deixe registar as minhas felicitações pela iniciativa. É facto que a, denominada, blogosféra está povoada por conteúdos pouco dignificantes e é de salutar que haja quem não se deixe ficar de braços cruzados e leve, por este meio eficaz e global, a mensagem do evangelho de Jesus Cristo.
Em segundo lugar, o tema da leitura é para mim muito caro, visto que nestes três anos que tenho dedicado à edição e promoção de autores de matriz cristã-evangelica, tenho-me apercebido que, de facto, lutamos contra uma corrente muito forte, que é o entretenimento televisivo - e nem entro nos aspectos do conteúdo dos programas televisivos. Ler requer esforço. Ler requer concentração. Ler requer tempo. Ler requer habituação. Ler requer promoção. Se calhar, deveriamos (e uso deveriamos, mas desejo referir-me às lideranças das igrejas e do seu ensino), como está a ser implementado nas escolas, por iniciativa do Ministério da Cultura e Educação, criar um Plano Nacional de Leitura para os crentes e simpatizantes evangélicos. Talvez as igrejas poderiam criar clubes de leitura... pequenas bibliotecas... promover livros entre os alunos da E.Dominical... enfim, muitas outras iniciativas poderiam ser implementadas... e para isso é necessário que haja muita força de vontade... e, sem a qual não há iniciativa que revista, paixão pelos livros.